RELES MORTAIS

“Quem tem olhos para ver e ouvidos para ouvir convence-se de que os mortais não conseguem guardar segredos. Se os lábios estão mudos, eles tagarelam com os dedos; a traição força seu caminho por todos os poros.” (Sigmund Freud)

________
GAY, Peter. Freud – Uma vida para o nosso tempo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

10 Replies to “RELES MORTAIS”

  1. Olá

    Estou por aí (risos). Tenho acompanhado seu blog pelo Google Reader, não é tão íntimo quanto a visita pessoal, mas pelo menos dá para acompanhar seu sempre bom trabalho nos posts. Aparece uma hora para batermos um papo.

    []s

    Ei, mas não se esqueça de comentar… Para eu ter certeza de que você passou por aqui. bjs, Aline

  2. Oi Aline. 🙂
    Nunca isto: “eles tagarelam com os dedos” fez tanto sentido quanto hoje, na era digital… Será que os dedos de hoje tagarelam mais que os dedos da época de Freud? Eis aí uma cousa a ser analisada… rs
    Mas sobre o ouvir e guardar segredos… Acredito que a maioria das pessoas aprende melhor a guardar segredos (tanto seus quanto de outros) quando vê os seus sendo expostos… Mas nem todos aprendem assim, graças a Deus! 🙂
    E isso só me fez lembrar de outra frase – que infelizmente não lembro do autor – que diz algo mais ou menos assim: “Os sábios aprendem com a experiência dos outros, os inteligentes com a própria experiência e os idiotas nunca aprendem.” (O que não faz a associação de idéias, né?)
    Beijos!

    Rebeca, achei ótima sua alusão à era digital… Na Internet, fofoca é o que há em excesso. As pessoas vasculham a vida alheia com a minuciosidade de quem se dispõe a procurar uma agulha no palheiro. E ainda têm a cara de pau de falar mal de quem nem conhece, vê se pode? É ridículo! Batizo isso como a “Síndrome do Orkut”. Qto à frase, eu a conheço. Grata pela visita! beijos, Aline

  3. Eu, particularmnete, acho que o Orkut é só mais uma ferramenta para a fofoca digital. O MSN, o Youtube e os e-mails também são uma ótima fonte para espalhar fofocas, muitas vezes grosseiras…
    E partilho com você a opinião de que é ridículo falar mal de quem nem se conhece. As pessoas sentem-se no direito de julgar alguém, e muitas vezes nem sabem se aquilo que foi dito é realmente verdade. E é aí que acontece os linxamentos morais vituais. Precisa-se de muita hipocrisia para se falar mal de alguém que faz, ou que disseram que fez, algo “ilícito”. Condenar é o primeiro passo para cometer o mesmo “erro”.
    Beijos!

    Rebeca, fico muito feliz de saber que posso contar com pessoas atentas como você! beijos, Aline

  4. Oi… tem um tempinho q não comento aqui, né… mil
    perdões, please… Agora esse lance do segredo ou da falta
    dele… realmente é um assunto complicado… ainda bem
    que não me lembro de ter segredo… (até parece) mas nunca
    tive vontade de compartilha-los com ninguém, porque senão
    deixa de ser segredo… agora, aqui está um lugar onde
    a fofoca rola mais solta do q em qualquer outro lugar q eu conheça…
    Muitos BJS!!!

    Pois é, Ester. Vc sumiu… Senti sua falta. bjs, Aline

  5. Voltei a postar! Agora estou com um pouvo mais de tempo… e inspiração!

    Um beijo :****

    Espero q a viagem tenha sido mto boa. bjs, Aline

  6. Olá novamente Aline.
    Bem, prefiro dizer não que sou íntegra, mas que gosto de preservar a integridade dos outros. 🙂 E você pode contar comigo sim.
    Beijinhos!

    Rebeca, embora eu respeite a sua modéstia, acredito que quem gosta de preservar a integridade dos outros, no mínimo, já se identifica com a integridade. Ser íntegro, como eu coloco, não é ser perfeito (seria uma bizarrice minha pensar assim), é simplesmente se preocupar com essa virtude. beijos, Aline

  7. Pois intão tá bão. =]
    Obrigadinha.

  8. amei o lance dos poros.
    simplesmente genial.
    se nao fosse Freud, seria C.S. Lewis a escrever isso aí.
    bjs e parabéns pela garimpagem,
    ricardo.

    Ricardo, é bom tê-lo novamente aqui. Figuras como Freud e Lewis são realmente geniais. Como eu gosto deles! Visite-me mais vezes. bjs, Aline

  9. Hum… suas palavras, ou as que vc tem se referido mudaram muito… I don’t know how to explain that to you… Anyway, God bless you…
    How is Digo????
    Um beijo….
    Lin.

    Line, como você disse que não sabe me explicar, ficarei aguardando uma oportunidade para conversarmos sobre isso. Digo está bem. Um beijão, Aline

  10. Costumam-se dizer que segredos só existem entre duas pessoas e só permanece quando uma delas morre. É complicado esse negócio de segredo, mas ainda acredito em pessoas íntegras, confiaveis, sei que no mundo em que vivemos existem pessoas que querem saber tudo do outro pra sair por aí fazendo comentários maldosos, mas existem, sim, aqueles que ainda guardam segredos. Quero continuar pensando assim, senão a vida perde sentido, ainda confio muito em meus poucos amigos e ñ preciso nem te falar que você é uma delas, amos vc viu? bjos.

    Marry, adorei sua visita. Sobre segredos… bem, eu prefiro usar o termo “confidências”… Há pessoas para as quais podemos contar nossas confidências. Conheço muita gente, porém, considero-me uma pessoa de poucos amigos. É claro q nem todo mundo é confiável… Por falar em pessoas pouco confiáveis, descobri uns colegas de trabalho pra lá de “sacanas”… ai ai… coisas da vida!!! beijos, Aline

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.