EU APRENDI

(Será de William Shakespeare?)

Eu Aprendi
Que a melhor sala de aula do mundo está aos pés de uma pessoa mais velha;

Eu Aprendi
Que quando você está amando dá na vista;

Eu Aprendi
Que ter uma criança adormecida em seus braços é um dos momentos
mais pacíficos do mundo;

Eu Aprendi
Que ser gentil é mais importante do que estar certo;

Eu Aprendi
Que eu sempre posso orar por alguém quando não tenho
força para ajudá-lo de alguma outra forma;

Eu Aprendi
Que não importa quanta seriedade a vida exija de você, cada um de nós
precisa de um amigo brincalhão para se divertir junto;

Eu Aprendi
Que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão
para segurar e um coração para nos entender;

Eu Aprendi
Que os passeios simples com meu pai em volta do quarteirão
nas noites de verão quando eu era criança fizeram maravilhas
para mim quando me tornei adulto;

Eu Aprendi
Que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que
lhe pedimos;

Eu Aprendi
Que debaixo da “casca grossa” existe uma pessoa que
deseja ser apreciada e amada;

Eu Aprendi
Que Deus não fez tudo num só dia;
O que me faz pensar que eu possa?

Eu Aprendi
Que quando você planeja se nivelar com alguém,
apenas está permitindo que essa pessoa continue a magoar você;

Eu Aprendi
Que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;

Eu Aprendi
Que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;

Eu Aprendi
Que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade
vai aportar em outro lugar;

Eu Aprendi
Que eu gostaria de ter dito a minha mãe (pai) que a amava,
uma vez mais, antes de ela morrer;

Eu Aprendi
Que um sorriso é a maneira mais barata de melhorar sua aparência;

Eu Aprendi
Que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade
e crescimento ocorre quando você está escalando-a.

(será mesmo de Shakespeare?)

APRENDA A DIZER ‘NÃO’

por Pr. Jobson Santos

Quando você não quer fazer alguma coisa, você tem facilidade de dizer não?

Ou você às vezes diz SIM apenas para não desagradar alguém?

Se você tem dificuldade para dizer NÃO, talvez precise reforçar seu amor-próprio.

Veja o que Jesus falou em Lucas 10:27: Ame ao Senhor.

E ame ao próximo como a si mesmo.

O amor a Deus deve estar acima de tudo.
O serviço ao semelhante também é fundamental.

Mas tão importante quanto amar os outros é amar a si mesmo.

Como amamos ao próximo? Respeitando quem ele é.

Ajudando-o em suas necessidades.

Aceitando suas limitações.

Como amamos a nós mesmos? Conhecendo quem somos.

Valorizando nossos gostos. Estabelecendo limites.

Quando você estabelece limites, você sinaliza quem você é e quais os seus valores.

Sabe o que acontece quando uma pessoa sempre cede, sempre abre mão de suas preferências? Esta pessoa perde o seu valor.

Ela não é valorizada porque está jogando fora a sua individualidade.

Há momentos em que é preciso afirmar o que você deseja.

Há momentos em que é preciso dizer não.

Isso não quer dizer que você vai ficar dizendo não apenas para protestar.
Você não vai ficar dizendo não para aquelas regras e leis que são essenciais para a vida.

Estou me referindo àquilo que não tem nada de errado, seus gostos e preferências, seu jeito de viver a vida.

Algumas pessoas gostam de dormir cedo, outras preferem dormir tarde.

Alguns gostam de filmes de ação, outros preferem comédias.

Aprenda a dizer não para as coisas que você não gosta e sim para as que você gosta.

Desta maneira você estará desenvolvendo o amor próprio. O resultado será mais energia e alegria.

ELES COMPREENDERAM

“[Deus] nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação.” (II Coríntios 1:4)

Uns dias antes do Natal, recebemos um bonito arranjo floral com um cartão que dizia: “Partilhando a sua perda e desejando a si e à sua família um Natal abençoado e um Feliz Ano Novo… O nosso amor e as nossas orações, Dave e Betty.”

Sete meses antes, a minha irmã Marti e o seu marido Jim tinham perdido a vida num acidente de avião. Este era o nosso primeiro Natal sem eles, por isso era um grande encorajamento ter amigos que reconheciam a nossa perda e expressavam o seu amor de um modo tangível.

Dave e Betty entenderam a nossa necessidade em sentir pesar e encontrar a cura de Deus porque duas décadas antes a sua filha tinha acabado com a sua própria vida. Porque eles tinham experimentado a mão consoladora do Senhor durante esses anos, eles estavam aptos para se aproximarem de nós de uma maneira sensível e atenciosa.

Aquele ato amoroso veio como um exemplo notável das palavras de Paulo: “O Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação … nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados de Deus” (II Coríntios 1:3-4).

Quando Deus toca os nossos corações quebrantados com a Sua paz, nós somos equipados de modo único para o compartilhar com outros. Que maravilhoso presente para dar e receber no Natal!

(David McCasland)

DEUS NÃO NOS CONFORTA PARA NOS FAZER SENTIR CONSOLADOS, MAS PARA NOS TORNAR CONSOLADORES.

Fonte: Nosso Pão Diário, uma tradução de Our daily bread, dos Ministérios RBC, em Curitiba (PR). E-mail: newsletter@hpe.com.br.