“noite clara depois da primeira noite” (por Iara Rennó)

|| Sob a categoria da poesia erótica brasileira, indico para leitura desta semana um poema da cantora, compositora e performer paulistana Iara Rennó, artista cujo trabalho conheci quando ouvi o álbum “AfrodisíacA”, lançado no segundo semestre de 2020 e disponível no Spotify. A artista lançou seu primeiro livro de poesia há seis anos. Em “Língua brasa carne flor” (Editora Patuá, 2015), há o poema “noite clara depois da primeira noite”. Confira a seguir:

noite clara depois da primeira noite

ainda sinto seu cheiro que me compele
suspiros e arrepios à flor da pele
pois ele veio em cheio lobo e homem
quando só com mais fome se mata a fome
porque olhos nos olhos penetrou-me
enquanto mordíamos ambos os lábios
carnudos doces úmidos e cálidos

entre as ancas beijou-me com calma
como se quisesse penetrar minh’alma
como quem reza se ajoelha e agradece
reverencia a lua cheia que desce
recebe a luz do novo dia que nasce

me deito só mas em sua companhia
em meio a bruma da memória viva
minha vulva pulsa e se regozija
excita-se e seus licores regurgita
toco meu seio esquerdo que se entumece
por onde andará quem já não aparece?
largo-me nos braços largos da lembrança
e caio em sono bendito feito criança

Foto: @laura.alonso.abril

Leia também:

Particularidades (por Gilka Machado)

Saturnal (por Olga Savary)

Porque há desejo em mim (por Hilda Hilst)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.