LUCKY WOMAN

Seus olhos encontraram-se instantaneamente. As faces de ambos ficaram ruborizadas. Teve o rapaz um visível sobressalto. Por um momento, pareceu imobilizado pela surpresa. Recuperando a calma, adiantou-se para o grupo e falou com Elizabeth, não muito tranqüilo, mas em termos de natural cortesia. (p. 95)

Será possível amar as pessoas como se não houvesse amanhã? São todos como gotas d’água. Como grãos de areia. Ela acredita que é só um vento lá fora. E nem está com medo. Abriu as janelas do quarto e lá estavam os pássaros dizendo ser a humanidade desumana.

Selvagens como todos aqueles que passaram por nós. Sem a ilusão de que esses sentimentos seriam eternos. Não, não temos tempo a perder. E bem nos disse: a tempestade era da cor de seus olhos. Talvez castanhos. Agora que ela está livre para ser feliz de verdade. E quem sabe o que aconteceu…

Não por acaso, ela é uma garota de sorte.

________________
AUSTEN, Jane. Orgulho e Preconceito. Tradução e adaptação de Paulo Mendes Campos. Rio de Janeiro: Ediouro, 2007.

6 Replies to “LUCKY WOMAN”

  1. Vejo-a inspirada com Jane “Russo” Austen, ou será o clima natalino?

    Sim, sim, Renato e Jane estavam em minhas lembranças… beijão, Aline

  2. Creio que muitos problemas entre nós humanos seriam resolvidos se nos amássemos como se não houvesse o amanhã. Parabéns. Bjs

    Muitas coisas, talvez, seriam melhores, se vivêssemos assim… um abraço, Aline

  3. Oi Aline, vou responder seu comentário aqui, fica + fácil…

    Que plataforma você usa para atualizar o site? O WordPress, ou um sistema de blog diferente criado ou indicado pelo webmaster?

    Não tenho como responder diretamente como você pode colocar HTML nas postagens, por desconhecer o sistema que você usa. Normalmente dá para ir para o modo HTML e digitar ou colar códigos, no caso do YouTube, você deveria copiar o código embed… até o fim incluindo /embed… e então colar na postagem, como HTML. Isso creio que é o que vc tentou fazer…

    Sem ver como é o sistema que vc usa, fica difícil de dizer ao certo como colocar 🙂

    Abraços

    Marcos, mandei email para você. Estou grata pela disposição em me dar orientações. Certamente, vou precisar de você algumas vezes 😛 Um abraço, Aline

  4. Hum… O que vejo?
    Com licença Edison, vou usar o termo que você criou.
    Jane “Russo” Austen…
    Mesmo correndo o risco de ser piegas vou dizer: Que…
    “…Esse é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante. A primeira vez, sempre a última chance…”

    Só quando aprofundarmos essa consciência de que a primeira vez é a última chance saberemos amar como se não houvesse amanhã. 😉

    “O Sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer.”

    Beijos!

    Pois é. Eis uma coisa que independe do ponto de vista: o sol nasce para todos. Você desapareceu, hein?!?! beijos, Aline

  5. Olá, Aline. Voltei. =)
    “Orgulho e preconceito”, queria ver o filme, mas acho q aqui na locadora ainda não tem. Ou pelo menos ainda não vi. Prefiro ver o filme, já que livros não são muito fáceis de adquirir.

    Mudando de assunto..
    Creio que haverá ano novo com a família e pelo que me informaram será na casa da Gui. Fiquei sabendo ontem, ok?

    Beijos, seu primo.

    Duka, que milagre você por aqui!!!! Ganhei um vale-presente de um querido amigo e então escolhi “Orgulho e preconceito”. Mas existem edições em sebos também. Quanto ao ano novo, a gente se fala por e-mail. Não vamos publicar aqui nossas confraternizações familiares, né???? Já pensou se um psicopata vai ler nossas conversas… Eu, hein!!! beijão, Aline

  6. Oi, Aline…estou passeando pelo seu blog há horas e estou apaixonada pelas coisas que vc escreve. Vc é muito talentosa. Parabéns. 🙂

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.