AGNES DE DEUS

A boa poesia é a música da matemática. Números que cantam. Olhem além das palavras para compreenderem os seus sentidos. (Dr. Fredericks, personagem do filme O bom pastor)

Desde a infância, tenho o hábito de guardar frases. De identificá-las nos livros, nas músicas, nas ruas e no cinema. Há sempre alguma frase que traduz perfeitamente a maneira como percebemos a vida. Como sentimos as pessoas. Como identificamos o nosso lugar no mundo. Haverá alguém que já disse o que gostaríamos de dizer. Que já pensou o que poderíamos pensar. Ou até mesmo o que nem pensaríamos. Ou nem diríamos. E nada me parece novo. Ainda que dito pela primeira vez.

A bondade humana é um mito. E somente alguém não-humano seria capaz de produzir tanta beleza na vida. De plantar no homem e extrair dele alguma coisa boa. Sim, chamem-me de incrédula. Mas é assim que é. Somos todos tolos. E pensamos que somos mais que isso. Pergunto-me: como sobrevivem as pessoas demasiadamente insensíveis? Não sei. Nada há de mais atraente do que a linguagem da alma perspicaz. Mesmo que ela nos pareça piegas. E eu rio de nossa capacidade fantasiosa e infantil de considerarmos o outro anjo.

O homem não me surpreende.

___________
O bom pastor (2006, EUA, The Good Shepherd) – filme dirigido por Robert De Niro, com Matt Damon (Edward Bell Wilson), Angelina Jolie (Clover/Margaret Ann Russell), Alec Baldwin (Sam Murach), William Hurt (Philip Allen), Billy Crudup (Arch Cummings), Joe Pesci (Joseph Palmi), John Turturro (Ray Brocco) e Michael Gambon (Dr. Fredericks) no elenco.

10 Replies to “AGNES DE DEUS”

  1. Tenho também esse hábito. Entretanto acabo por anotar as mais expressivas, por não contar com a ajuda da minha memória. Porém o ceticismo é o mesmo. Talvez uma coisa seja consequência da outra. Não sei. Bjs.

    Como assim, Djabal? O que seria conseqüência de outra coisa? bjs, Aline

  2. Outro que gosta de colecionar frases, embora eu não sempre consiga citá-las textualmente, só a idéia geral normalmente.

    O homem não me surpreende mais, mas sua estupidez sim, pois essa não tem limite.

    A estupidez humana: sem limites?! bjs, Aline

  3. A mim também não surpreende, apesar de me assustar, muitas vezes…

    Já guardei muitas frases em caderninhos… nem sei onde foram parar… que pena!

    Também tenho diversas frases em cadernos da época do colegial… beijo, Aline

  4. Eu também gosto muito dessas frases que dizem o que estamos sentindo. Nunca são novas, porque os sentimentos, por mais que pareçam não são novos.

    Acho que dos tolos eu sou a mais tola, porque ainda me surpreendo com o homem… Seja com sua estupidez ou com seus gestos grandiosos.
    Deus me ajude!

    Beijos!!!

    Pois é, Rebeca. Adoro quando encontro seres perspicazes, que nos traduzem muito bem… Somos tolos mesmo. Sob a perpectiva de que – vindo do homem – todos os erros e falhas são possíveis, eu realmente não me surpreendo. E – como disse – a beleza vem do ALTO. beijo, Aline

  5. Oi. Voltou, voltei também.
    Também gosto de frases, mas não escrevo ou decoro…deixo que elas fiquem nadando livres no meu [in]consciente, até que num momento me lembro delas e me alegro ou me identifico.

    Lisi, muitas delas ficam registradas com muita facilidade na minha memória. E anoto depois. ADORO anotar frases.

    Quanto aos humanos…pois é, eu me surpreendo sempre, se eu achar que todos são incapazes da me causar surpresa… não ia gostar. Me surpreendo sim, mas não gasto mais que alguns segundos na surpresa. Me surpreendo mas sem traumatizar…na Bíblia está escrito que – maldito é o homem que confia no homem – por isso me surpreendo mas não me abalo ou me gasto em julgamentos.

    Não me refiro a surpresas. Não me refiro a esse tipo de “surpreender”. É claro que pessoas nos surpreendem, uma vez que não somos adivinhos e nem sempre poderemos prever as ações e reações do outro. Quando digo “o homem não me surpreende”, lembro-me apenas de que nada há de novo debaixo do Sol. Apenas isso!

    Véi,é o seguinte, amo muitas pessoas, profundamente, mas confio só em Deus.
    Ahhhhh esses humanos…
    [falo de surpresas ruins, as boas eu degusto beeeeeeem devagar]

    Eu também amo algumas muitas pessoas. E confio nelas. Confiar neste sentido: percebo a capacidade que alguns desenvolvem para demonstrar o cuidado com o outro. O zelo pelo respeito, pela consideração, pelo companheirismo mútuo. Não confio nas pessoas como confio em Deus. Isso seria loucura, ou burrice, ou tolice… beijão, Aline

  6. Sempre que compro um livro ele envelhece com minha leitura, tenho o hábito de grifar frases, escrever palavras soltas nas páginas e colocar observações. Acho isso um erro, mas não resisto! E sabe do que mais este seu texto me lembrou? De um cheiro marcante de dama-da-noite…

    Um beijo, Aline :*

    Oi, Tamara. Quanto tempo! Quando eu resolvo fazer anotações ou grifar frases nos livros, faço a lápis. Acho um crime rabiscar os livros com caneta (ahahahahah). Gostei do cheiro marcante… beijo, Aline

  7. Eu também gosto muito de frases e tenho excelente memória, adoro aquela que diz “….” Hum, acho que esqueci. Bem, não importa, acredito na bondade humana, hoje mesmo comprei um alarme, uma arma, uma cerca elétrica e um pitbull, a vendedora era tão simpática e me tratou tão bem que não pude deixar de passar-lhe uma cantada gratuita, que ela recusou de modo pouco educado, mandei-lha à merda… Comprei um jornal e me sentei no banco da praça, entre um drogado e um bêbado e me pus a ler as últimas notícias do rapaz que atirou a filha do sexto andar… Fazia sol e o dia estava lindo…

    Que maravilha: meu amigo Edison voltou. E, pra variar, com seu sarcasmo requintado de ironia e diversão 😛 Tudo bem, fazia sol e o dia estava lindo… Obrigada pela visita. beijo, Aline

  8. Ai a sensibilidade, se a maioria dos homens a tivessem o mundo seria tão mais…sensivel, humano. Gosto muito de frases, elas geralmete resumem o que está dilatado dentro de nossos corações. Saudades querida Aline. Você já leu o livro “Ilusões perdidas” de Honoré de Balzac? É o maximo…

    Oi, Michel. Ainda não li. Você tem? Imagino que seja bom mesmo. Quando vem passar as férias aqui conosco? beijão, Aline

  9. Oi, Aline! Tenho o hábito de anotar frases, também, embora nunca me lembre de onde as anotei, pois escrevo no que estiver à mão… Mas tenho aqui o maravilhoso discurso de Chaplin no fim de “O Grande Ditador”: “Soldados! (…) Vós não sois máquinas! Não sois gado! Homens é o que sois! Tendes o amor da humanidade em vossos corações! Vós não odieis! (…) Não lutai pela escravidão! Lutai pela liberdade!”

    Não é maravilhoso?

    …Novidades no blog…

    Graças ao meu pai, cresci ouvindo sobre Chaplin. Muito bom! Sobre as novidades no blog, vou conferir. abraço, Aline

  10. WONDERFUL Post.thanks for share..extra wait .. . Steven Torigian http://identi.ca/johnreisen

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.