garden

A arte existe porque a vida não basta. (Ferreira Gullar)

Sobre os jardins da cidade urino pus
por Aline Menezes

Não gosto de ambientes que tenham a pretensão de vender felicidade e satisfação. E não gosto disso por duas razões simples: eles são constrangedores e todos são descaradamente iguais. 

Em lugares como esses, por exemplo, se pensarmos nos shoppings centers (há vários outros tipos de ambientes cuja pretensão é a mesma), ao olharmos pelas vitrines das lojas e avistarmos uma peça feminina no valor de R$ 850, de design e tecido simples, que poderia ter sido costurada pela minha avó (não estou com isso dizendo que as costuras da minha avó não mereceriam ser mais valorizadas ou que não poderiam ser sofisticadas), percebo o funcionamento das coisas e, quase involuntariamente, sinto-me fracassada diante dos ideais nos quais acredito e pelos quais luto. 
Continue lendo “garden”