writing

Literatura é liberdade. (Susan Sontag, escritora e filósofa americana)

Todos os dias ele nasce. Aqui e ali. Todos os dias, tudo muda e permanece igual. Gente caminhando pelas ruas e estradas do mundo… Gente solitária, comum. Pessoas que seguem suas vidas, outras que decidem interrompê-las. A vida é limite, assim como viver é permanecer em luto. A existência humana é trágica, e eu não tenho mais dúvidas em relação a isso. E aqueles momentos bons que temos são mesmo apenas intervalos de felicidade, como nos diria Schopenhauer.

Como entender que a liberdade também é condenação? Onde Nietzsche errou? A dor, o sofrimento, a angústia… A solidão e a morte… Precisamos reconhecer que estamos cercados. O mundo é estúpido. A nossa existência será sempre individual, portanto, solitária. Sou eu quem sente as minhas dores, ninguém mais pode senti-las, ainda que alguém se mostre para mim solidário. A vida é possessão involuntária: a dor é minha, está em mim, sem que eu a tivesse desejado.
Continue lendo “writing”