shit

Tudo que os homens fazem, sabem ou experimentam só tem sentido na  medida em que pode ser discutido. (Hannah Arendt, cientista política e filósofa alemã)

Em um país com tantas desigualdades sociais como o Brasil, é difícil aceitar que a riqueza esteja concentrada nas mãos de meia dúzia de pessoas. É difícil aceitar, por exemplo, que haja ?proprietários? de latifúndios, enquanto há décadas brasileiros lutam pela distribuição mais justa de terras. É difícil aceitar que a imprensa seja controlada pelos donos dos principais veículos de comunicação, os quais ? em grande parte do País ? são também políticos. É difícil aceitar, ainda, o falso debate universitário sobre ?democracia?.

Num país como o nosso, é ingênuo acreditar que o brasileiro é um povo honesto, hospitaleiro, sensível. Ora, aqui reside um número infinito de gente desonesta, xenófoba, mesquinha, estupidamente preconceituosa, imbecil. A começar pelo caráter aproveitador de cada um, que sempre busca levar vantagem em tudo, desde as pequenas trapaças cometidas por alunos de faculdade para tentar enganar o professor, até situações mais graves. Sensibilidade? É o quê? Assistir ao quadro ?De volta para a minha terra?, apresentado na TV, e chorar copiosamente? Ah, quanta enganação!
Continue lendo “shit”