attraversiamo

Às vezes, perder o equilíbrio por amor é parte de uma vida equilibrada. (Ketut Liyer, personagem xamã)

Quando ouvi e, em seguida, li que “o Augusteum é, hoje em dia, um dos  lugares mais tranquilos e mais solitários de Roma, enterrado bem fundo no chão”, a lembrança de nossas ruínas particulares foi inevitável. E pensar na necessidade de que elas existam, mais ainda.

Organizar o nosso caos interior (se é que faz sentido organizá-lo) é tarefa árdua. E requer de nós, talvez, uma vida inteira. Há loucuras específicas na existência. E resisti-las é possivelmente um milagre.

Continue lendo “attraversiamo”