CONSTANTEMENTE

por Joésio Menezes

Sempre que te encontro, te cortejo…
E quando te cortejo, meu peito se insinua,
Meu coração se abre à espera tua,
Minha libido espera de ti um gracejo.

Sempre que te olho, te desejo…
E quando te desejo, minh’alma flutua,
Meu corpo padece, me sinto na lua,
Me queima o fogo do tesão sobejo.

Sempre que te beijo, muito mais te quero…
E eu, de tanto te querer, me exaspero
Com esse desejo incontrolável e fecundo.

Sempre que de ti me afasto,
Para o meu coração me torno nefasto
E para o meu ser, a escória do mundo.

_______________
(Fragmentos de Mim, Brasília, 2002, p.61)

REVOLUÇÃO

por Joésio Menezes*

Outro dia, andando pela rua,
Vocês nem imaginam quem encontrei:
O Pequeno Príncipe afirmando ser um rei,
A Noviça Voadora voando seminua.

O Santos Dumont dizendo que foi à lua
No seu 14 bis, eu quase acreditei.
Marilyn Monroe dizendo ser um gay,
E Drácula comendo beterraba crua.

Villa Lobos, que jogou fora o seu piano,
Com um berimbau tocava axé baiano
Enquanto Pixinguinha dançava Rock’n Roll.

Adolf Hitler, de braços dados com um judeu,
Passeava num conversível Alfa Romeo
Anunciando que a guerra acabou…
____________
(Nas Asas da Poesia, Brasília, 1998, p.52)
*meu tio, irmão caçula do meu querido pai.